Meditação Infantil: 6 benefícios e como incentivar desde cedo

12 minutos para ler

Os benefícios mentais e físicos da meditação são cada vez mais reconhecidos e incentivados no mundo todo. O que nem todos sabem é que não valem apenas para adultos, mas para crianças também.

Segundo o doutor Bryan Bruno, fundador e diretor do Mid City TMS, um dos maiores centros de tratamentos para depressão de Nova York, é enfático: 

A meditação é uma das atividades mais saudáveis que os pais podem realizar com seus filhos”.

Semelhante aos adultos, as crianças são inundadas com informações e atividades durante o dia. Aprender a meditar desde cedo traz benefícios imediatos, como redução da ansiedade, mais produtividade e equilíbrio.

E a longo prazo também, porque, assim como aprender uma língua estrangeira ainda quando criança, a habilidade de relaxar e de viver o momento presente vai permanecer com ela por toda a vida, provocando efeitos progressivos de bem-estar

Se você ainda não se convenceu, veja a seguir 6 benefícios e como incentivar desde cedo a meditação infantil.

1) Reduz o stress e a ansiedade

Como a criança tem, hoje em dia, muitos estímulos – aulas extras, telas, brinquedos eletrônicos e tecnologia –, sobra menos tempo para brincar livremente ou, simplesmente, “fazer nada”. Além disso, elas são cobradas com frequência sobre tarefas e metas. 

O excesso de estímulos faz com que ela se desconecte de si mesma e entre em um padrão muito acelerado, com competição, ansiedade e estresse – ou, em casos mais graves, de depressão.

A meditação infantil pode ser incrivelmente útil para que, além da pausa no dia, a criança aprenda a desacelerar, respirar profundamente, abrir espaços internos de percepção e reflexão, e praticar a atenção plena (mindfulness).

E não é algo passageiro! 

Uma pesquisa realizada nos Estados Unidos em 2018 apontou que a ansiedade tem uma redução clara na primeira hora após a sessão de meditação, efeito que se prolonga em até uma semana após a prática.

Vários estudos também mostram que a meditação reduz os níveis do cortisol, conhecido como hormônio do estresse. 

Só de viver mais tranquilo é ótimo. 

Mas diminuir o estresse tem vários outros papéis importantes no organismo: controlar problemas cardiovasculares, diabetes, obesidade, depressão, Alzheimer e doenças crônicas que estão no topo das causas de morte no mundo.

2) Melhora o foco e concentração

meditação na escola

As crianças que crescem já de olho nas telas muitas vezes acham difícil se concentrar e permanecer atentas. A meditação ensina a elas que é possível direcionar a atenção a uma coisa de cada vez e que é realmente bom não se distrair.

A prática acalma o sistema de alarme do corpo, que permite um aumento do foco no momento presente. 

Como algumas meditações podem exigir que seu filho se concentre em sua respiração ou no que está sendo dito ou em um som específico durante um período de tempo, isso ajuda a aumentar o tempo de atenção.

O foco e a concentração ensinados durante a prática podem dar a elas as ferramentas para voltar a um estado atual calmo a qualquer hora, do dia ou da noite, na escola ou em casa. Ou seja, são benefícios que permanecem com ela e melhoram todos os aspectos da vida.

Quanto mais cedo for inserida e mais constantemente praticada, pode levar a menos prescrições de medicamentos, como a cada vez mais comum Ritalina – indicada para tratamentos de transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH), substituindo-a pela alternativa natural e saudável: meditação.

3) Ensina a respirar corretamente

Do ponto de vista da saúde, a respiração profunda, característica de muitas rotinas de meditação infantil, também é incrivelmente útil. 

Mesmo para adultos, respirar adequadamente é algo que muitos de nós não sabemos fazer. Portanto, as crianças que aprendem a respirar corretamente provavelmente carregam esse hábito na adolescência e na idade adulta, o que traz uma série de outros benefícios.

A habilidade de respirar e saber relaxar resulta em um melhor estado de saúde. Nestas práticas, o sistema nervoso parassimpático é ativado, o metabolismo corporal se acalma, baixando a frequência cardíaca e respiratória, aumentando a capacidade de aprender e se concentrar.

Ou seja, é um ciclo virtuoso – que começa, geralmente, pela respiração e desencadeia uma série de reações e benefícios.

4) Proporciona melhores noites de sono

Por falar em benefícios causados pelo relaxamento, as crianças que praticam meditação para crianças têm uma melhora significativa no sono.

De fato, os melhores momentos para meditar são quando você acorda e antes de dormir. Meditar antes de dormir permite um sono mais profundo, mantendo seu filho bem descansado e preparado para a escola ou outras atividades do seu dia.

Mas quem preferir ou puder inserir a meditação logo cedo ou ao longo do dia também colherá os benefícios na hora de ir para a cama. 

Isso acontece porque a meditação desacelera o ritmo da mente e reduz o pulso, a pressão arterial cai e os hormônios do estresse se dissolvem.

Na hora de dormir, o corpo do seu filho encontrará as ferramentas necessárias para “desligar” e ter o sono revigorante.

Lembrando: quanto melhor dormirmos, melhor o aproveitamento do tempo desperto. Isso vale e muito para os pequenos também!

5) Melhora a saúde emocional e física

A meditação infantil pode ser uma ferramenta poderosa para qualquer pai que esteja procurando ajudar a melhorar a saúde física e emocional de seu filho.

Em primeiro lugar, a meditação tem implicações positivas poderosas em nossa saúde física. As pessoas que meditam regularmente têm sistemas imunológicos mais fortes, dores de cabeça menos frequentes, pressão arterial baixa, menos dores no corpo e vários outros benefícios físicos.

Em segundo lugar, foi comprovado que a meditação ajuda na saúde emocional

A prática meditativa regular diminui, como já mencionamos, a ansiedade e a depressão, mas também ajuda as crianças a se tornarem mais conscientes de si e aumentarem sua autoestima.

Principalmente as meditações guiadas, mais indicadas para iniciantes e crianças, ajudam a refletir sobre o próprio corpo e a desenvolver aspectos como gratidão e alegria por estar vivo.

6 ) Melhora o desempenho escolar

A meditação desenvolve mudanças neurológicas (cerebrais) a longo prazo. Para isso, crianças – e adultos também – precisam praticar regularmente (de preferência, 5 dias por semana, durante pelo menos 15 minutos).

Esse vídeo explica melhor o que acontece no corpo humano com a meditação (com a opção de ativar a legenda no canto inferior direito):

O Dr. Bryan Bruno, do Mid City TMS, explica:

“A meditação afeta diferentes partes do cérebro, incluindo o lobo parietal. A atividade no lobo parietal diminui durante a meditação, e as crianças são capazes de processar informações com mais clareza ”.

Por isso, a meditação infantil tem um enorme potencial para melhorar o desempenho acadêmico nas escolas. Aliás, algumas escolas mundo afora estão experimentando substituir o tempo de detenção pela meditação. 

Um estudo piloto no sistema escolar de São Francisco (EUA), em parceria com o Center for Wellness and Achievement in Education, apontou que, durante um período de quatro anos, as suspensões diminuíram mais de 70% e que o desempenho acadêmico geral aumentou. 

Ou seja, as escolas que estão experimentando essa alternativa, estão notando benefícios máximos a um custo mínimo.

Como incentivar a meditação desde cedo

meditação para crianças

A meditação não possui um conjunto de regras ou um passo a passo obrigatório. Em tese, basta parar alguns minutos e se concentrar na respiração.

No entanto, se adultos podem ter dificuldade no início, quem dirá as crianças. Por isso, existem algumas dicas que podem ajudar.

  1. Determine um momento do dia – lembrando que pela manhã ou pouco antes de dormir são os melhores horários.
  2. Escolha um local tranquilo e agradável da sua casa, como um quarto de visitas, com tapete, almofadas e uma luz confortáveis, ou ainda, leve seu filho para o pátio um parque, de forma que experimentem a beleza calmante da natureza.
  1. Agora, escolha uma técnica para seguir. Veja algumas opções interessantes para meditação infantil:
  • Concentrar na respiração: peça para a criança se sentar confortavelmente e se concentrar no ar que entra e no ar que sai. Coloque uma pedrinha ou qualquer objeto pequeno em cima da barriga da criança deitada, pedindo para ela olhar para aquilo, subindo quando o ar entra e descendo quando o ar sai.
  • Focar o olhar em um ponto: pode ser a chama de uma vela, um pêndulo, a fumacinha de um incenso. A intenção dessa técnica de meditação é que as crianças consigam ficar só olhando a imagem por um tempo determinado.
  • Ouvir o sino: um som que se estende e silencia lentamente é também um jeito bem fácil de ensinar meditação para crianças. Pode ser um sino, a corda de um violão, a nota de um violino, até um tambor. Peça para que fechem os olhinhos e escutem o som até ele acabar e o silêncio aparecer. Faça um número de repetições que não canse as crianças.
  • Repetir palavras ou frases: a simples repetição, desde que não seja entediante para a criança, já conduz a um estado meditativo. Podem ser palavras simples como amor, saúde, paz, alegria. Ou frases com um sentido bonito: “Quero tornar-me aquilo que sou: uma criança feita de luz”.
  • Imagens mentais: o adulto pode conduzir uma meditação para crianças com uma historinha de fácil entendimento, de modo que a prática da meditação infantil será guiada e relaxante. 

Por exemplo:

“Deite-se e feche os olhos. Imagine que agora você é uma bonequinha de pano, bem molinha, que se esparrama pelo chão. Sinta os pés molinhos, as pernas, a barriga, as mãos, os braços, os ombros, o pescoço e a cabeça. Tudo está molinho e esparramado”

Pode ser a água de uma praia que molha os pés, pernas e braços. Pode ser uma rede que balança. O tom de voz tem que ser suave.

Você também pode usar um fundo musical e um incenso calmante para ajudar na meditação infantil.

  • Meditações guiadas: é um método que consiste em trazer um elemento visual para a prática da meditação, através de uma narração acompanhada de efeitos sonoros, contribuindo para manter o foco da mente no momento presente e incentivar os exercícios de respiração e relaxamento pelos pequenos. Você pode contar uma historinha simples, com um tom de voz suave e um fundo musical relaxante, ou usar algo preparado por um profissional.

4. O tempo e a frequência da meditação podem variar entre pessoas e práticas diferentes. Lembrando sempre que cada um medita o tempo que pode ou se sente confortável, e vai aumentando aos poucos, independentemente da idade.

5. Tente incorporar a meditação na rotina de seus filhos, como se fosse um compromisso mesmo e coloque na agenda dele – e na sua. 

6. Se for difícil no início, não desista! Comece com menos tempo e vá aumentando aos poucos, teste e experimente novas técnicas e insista, porque, como qualquer habilidade, quanto mais treinamento e dedicação, mais fácil e melhor fica.

Como as práticas de meditação geralmente são seguras e têm muitos benefícios possíveis, elas podem ser usadas sem muito risco. 

Porém, como em qualquer mudança de estilo de vida, é recomendado conversar com o pediatra do seu filho antes de adicionar práticas meditativas à sua rotina.

Quer se aprofundar no tema e ter mais dicas?

Recomendamos o livro Mindfulness for anxious kids: a workbook to help children cope with anxiety, stress and worry (“Mindfulness para crianças ansiosas: um livro de atividades para ajudar as crianças a lidar com a ansiedade, o estresse e a preocupação”, em tradução livre), da americana Catherine Cook Cottone, Ph.D., professora da Universidade de Buffalo (EUA), instrutora de ioga e psicóloga, lançado pela editora New Harbinger.

A obra, voltada para crianças a partir de 7 anos, mostra como ajudar os pequenos a identificar os pensamentos que geram estresse e preocupação por meio dos sinais físicos que o corpo manifesta.

Gostou do nosso artigo sobre meditação infantil? Compartilhe com outros pais ou deixe um comentário com a sua sugestão, elogio ou dúvida abaixo.

Posts relacionados

Deixe um comentário