Criança que fala palavrão: por que ela fala e como reagir à situação

9 minutos para ler

Ninguém é perfeito – nem mesmo pais e mães. Por mais que se policiem, às vezes, alguns comportamentos não muito louváveis escapam. 

Quem nunca soltou um palavrão quando bateu o dedo do pé na quina da cama? 

Ou que, depois de se estressar com o chefe, disse algumas coisas feias em voz alta, sem que ninguém pudesse ouvir?

O problema é que, com a chegada dos filhos, há sempre alguém por perto para ouvir. 

Pequenas criaturinhas que, embora possam não entender exatamente, estão muito atentas ao que você fala e a como você age. 

Por que crianças falam palavrão?

Falar palavrões em momentos de raiva ou de frustração é quase inevitável – uma reação automática para extravasar o sentimento. 

O problema é que as crianças são pequenas esponjas, que absorvem tudo isso, e se espelham em você para moldar o próprio comportamento.  

Inicialmente, a partir dos 5 ou 6 anos, a criança que fala palavrão reproduz as palavras de baixo calão sem saber o que significa. 

Como ouvem a mãe ou o pai falando, é apenas um ato de imitação

Os pais, ao ouvirem, demonstram surpresa, ficam bravos ou acham engraçado, e isso faz com que a criança repita o comportamento, buscando manter a atenção dos pais.  

A real compreensão do significado começa por volta dos 8 anos, quando a criança já está inserida em um convívio social mais amplo e, provavelmente, é repreendida também pelos professores e, talvez, por alguns dos coleguinhas.

O que fazer quando seu filho falar palavrão

criança palavrão

Por mais surpreendente que isso soe, a melhor maneira de evitar que falar palavrões se torne um hábito é ignorar completamente o que você ouviu. 

Não repreenda ou olhe para a criança. Finja, realmente, que não escutou. 

Com frequência, as crianças falam palavrão para chamar a atenção dos pais. Se perceberem que esse tipo de comportamento não rende a atenção desejada, perderão o interesse por ele. 

Fique calmo(a) e aja com naturalidade. Essa é a chave. 

Se, por algum motivo, essa tática não der certo, ou se você preferir ensinar a criança que ela não deve fazer isso, tente conversar sobre a escolha de palavras. 

Uma boa opção é dizer que, naquela casa, não se usam palavras que podem machucar ou ofender outras pessoas. 

Normalmente, os pequenos não entendem o significado das palavras que repetiram, mas entendem o que significa ofender ou machucar alguém. 

Se a criança for muito pequena, não há necessidade de explicar o que a palavra significa. Basta dizer que não é uma palavra bonita ou legal. 

Crianças mais velhas, com mais de quatro anos, porém, conseguem entender uma explicação mais simples. 

Uma alternativa é, antes de explicar, perguntar à criança o que ela pensa que aquela palavra significa. 

Depois, explique, sem tantos detalhes, o motivo pelo qual é uma palavra que deve ser evitada.

Como fazer com que o seu filho pare de falar palavrão

Converse com os demais adultos que moram na casa para que evitar palavrões na frente das crianças seja uma espécie de regra. 

Opte por expressões mais suaves, como “que droga”, mesmo quando as crianças não estão presentes. Assim, você vai acabar criando esse hábito. 

Não adianta estabelecer regras de comportamento para as crianças sem que os adultos também as sigam. Acaba sendo confuso para os pequenos. 

Lembre-se de incluir irmãos mais velhos no acordo. Irmãos mais novos também criam um senso de admiração pelos mais velhos, e imitar o comportamento é uma maneira de expor essa admiração.

Quando estiver frustrado ou irritado, você pode experimentar nomear esses sentimentos em vez de falar um palavrão. 

Isso também vai ajudando a criança que fala palavrão a aprender a se expressar melhor, algo que será bastante útil na vida adulta.

Se, por descuido, algum palavrão escapar, não se martirize. Converse com a criança e peça desculpas por ter feito isso. 

Você pode apresentar uma justificativa para o comportamento, por exemplo, “a mamãe se irritou” ou “o papai ficou triste”, mas deixe claro que não é uma atitude adequada.

Os pais não são a única fonte de palavrões ao alcance da criança. Os pequenos têm acesso a tablets, celulares e televisores cada vez mais cedo, e é preciso estar sempre atento aos programas que eles estão assistindo. 

caminhos educacionaisPowered by Rock Convert

ferramentas, inclusive, que bloqueiam o acesso a conteúdos inadequados para crianças. Isso vale também para proteger as crianças de pessoas com más intenções que possam estar por trás das telinhas. 

Veja também: 5 perigos da internet para crianças e como evitá-los

Mesmo que a criança fale de um jeito engraçado ou até mesmo fofo, procure não rir. Uma reação positiva será percebida como encorajamento pelos pequenos.

Também é importante tentar identificar os motivos pelos quais as crianças estão falando palavrões. 

Normalmente, é para chamar atenção, imitando o comportamento de alguém. Nesses casos, a melhor abordagem é a mais natural possível. Assim, a criança vai perceber que não conseguiu o que queria e provavelmente desistirá de falar essas palavras.

Se identificar, porém, que a criança está realmente frustrada, irritada ou chateada, é legal conversar com o pequeno para ajudá-lo a identificar esse sentimento. Esse é o primeiro passo para que a criança comece a reagir de acordo com o que sente. 

4 motivos pelos quais a criança fala palavrão (e como reagir)

1. Só por diversão

Você percebe que a criança usou a palavra quase que como uma maneira de experimentá-la, como forma de aprender a pronunciá-la. Nesse caso, a reação pode ser leve, com algum comentário ou só uma olhadinha.  

“Ué, essa palavra é nova? Você sabe o que significa?”

“Opa! Uma palavra nova. Quer falar de novo?”

“Uma palavra nova! A mamãe sabe que é legal usar palavras novas às vezes, mas, aqui em casa, não usamos essa palavra porque pode magoar alguém.” 

2. Querendo chamar atenção

Se você ouvir seu filho falando uma palavra feia, pode acabar reagindo mal. Às vezes, a criança percebe isso e começa a repetir a palavra sem parar, como forma de confrontar a autoridade dos pais. 

Agora, a criança sabe que, ao usar essa palavra, conseguirá obter uma reação sua e, por consequência, a atenção que tanto precisa na faixa etária.

“Ah é? Tá usando essa palavra de novo? Acho que você está querendo minha atenção, hein?”

“Se você tá usando essa palavra, é porque quer me contar tudinho sobre o seu dia, acertei?”

“Tá bem, você venceu. Pode vir aqui me dar um abraço. Na próxima vez, não precisa usar essa palavra, é só pedir um abraço que eu dou, tá bem?”

3. Reações exageradas

Crianças ainda não têm um vocabulário totalmente formado mas, mesmo assim, tentam se conectar e expressar seus sentimentos de frustração, raiva e até felicidade. 

Às vezes, elas escolhem um palavrão para demonstrar o que estão sentindo. É preciso prestar atenção e, nesse caso, ajudar a criança a expressar exatamente o que quer, sem utilizar esse tipo de recurso verbal.

“Dá pra ver que você ficou chateado com essa comida que a mamãe fez. Sei que não é sua preferida.”

“Acho que, com isso, você está querendo dizer que quer que a sua irmã largue seus brinquedos, acertei?”

“Eu sei que é chato quando a vovó precisa ir para casa. Eu fico chateado e sinto saudades dela. Você também?”

“Sei que você não gostou da minha decisão. E não tem problema. Mesmo que a gente não concorde, podemos ser queridos um com o outro, ok?”

4. Imitando você

Pode ser que a criança esteja apenas imitando seu comportamento, ou o de alguém próximo. 

Já falamos sobre isso: para evitar que os pequenos falem palavrão, você também precisa ficar atento a isso. Mas, quando acontecer, há maneiras de reagir para que as palavras feias não se torne um hábito da criança.

“Opa! Fiquei muito brava com a moça no telefone, e falei algumas palavras bem feias. Na verdade, eu deveria apenas ter dito que fiquei chateada com ela.”

“Tá certo, você venceu. Eu falei de novo essa palavra. Às vezes, a mamãe esquece. Desculpa!”

“Ai ai, acabou escapando, mas, agora, nós estamos tentando falar sobre os nossos sentimentos em vez de usar essa palavra, né?”

Criança falou palavrão? Não se culpe!

Em primeiro lugar, não se culpe quando o palavrão escapar! Pais e mães não são robôs. Além de estarem criando alguém, também lidam com as frustrações e as irritações do dia a dia. 

Procure evitar e combine o mesmo com os demais moradores da casa. Além de estar protegendo seu filho dessa exposição, seu próprio hábito de se expressar com palavrões perderá força.  

Reaja com naturalidade, sem incentivar a repetição desse comportamento, e tente não esboçar reações significativas, como rir ou brigar. 

Lembre-se: normalmente, a criança nem sabe o que está dizendo, e essa é só mais uma maneira de captar a atenção dos pais. 

Reaja com calma e paciência – seus filhos estão passando por um longo processo de aprendizado sobre a melhor maneira de se comunicar e de expressar sentimentos.

Posts relacionados

Deixe um comentário