Conflitos entre pais e filhos na adolescência: por que acontecem e 8 dicas para evitar

11 minutos para ler

Por ser uma fase de muitas mudanças, tanto físicas quanto emocionais, e de transição entre a infância e a vida adulta, a adolescência leva a muitos conflitos entre pais e filhos

Tanto ou mais que os adolescentes, os pais costumam sofrer bastante durante esse período. Birras, castigos e confrontos podem ser frequentes. 

Mas por que filhos adolescentes e pais brigam tanto? 

Vamos ver os 9 principais motivos que levam aos conflitos entre pais e filhos na adolescência e, mais importante, como evitá-los, já que tanto machucam e podem, com o tempo, desgastar a relação.

9 principais causas de conflitos entre pais e filhos na adolescência

As discussões entre adolescentes e pais geralmente acontecem quando ambas as partes acreditam que sabem o que é melhor para a vida do adolescente.

Por um lado, os pais cuidam de seus filhos há mais de uma década e acham que os conhecem mais do que ninguém. 

Por outro, o filho adolescente está se tornando adulto e acredita que é capaz de cuidar de si mesmo. 

Aí, os adolescentes acham que os pais só querem proibir. 

Já os pais acham que os filhos acham que podem fazer o que quiserem. 

Na prática, quais são os “estopins” dos desentendimentos? Veremos os 9 dos principais motivos a seguir.

1. Imposição de regras

Os adolescentes são conhecidos por serem rebeldes sem causa. Quaisquer regras, para eles, são uma tentativa de controlá-los. Eles se ressentem da autoridade e tentam quebrar e violar as regras o máximo que podem. 

Seja a hora de voltar para casa ou de saber com quem estão saindo. Embora os limites façam parte do crescimento e do aprendizado do que é certo ou errado, isso afeta os pais e as brigas se tornam inevitáveis.

2. Relacionamentos

Os pais acham que seus filhos são muito novos ou imaturos para namorar. Ou desaprovam o(a) namorado(a) do(a) adolescente. Ou estão insatisfeitos com o número de encontros que vão ou com a hora em que voltam para casa. 

Ou, simplesmente, se incomodam por perceberem que seus pequenos podem estar crescendo. Seja qual for o caso, o fato é que os relacionamentos adolescentes são motivos de muitos conflitos entre pais e filhos.

3. Roupas

Saias muito curtas, decotes muito ousados, calças muito baixas ou rasgadas demais. O pai ou a mãe acham muitas das roupas dos filhos inadequadas. Já os adolescentes querem liberdade para se vestir. 

Chegar a um acordo sobre esta questão não é fácil. Além da questão de autoridade envolvida, há também um conflito de gerações.

4. Muito tempo sozinho

Muitos adolescentes preferem ficar sozinhos no quarto do que com seus familiares, não querem mais ir visitar os avós e muitas vezes nem querem ser vistos com os pais. Eles tentam fechar as portas, colocar os fones de ouvido e se excluir em frente ao celular. 

Para os pais, é difícil aceitar que os filhos não gostam de ficar com eles e tentam forçá-los a sair de seus quartos e impõem conversas, sem perceber que o silêncio faz parte do amadurecimento.

5. Alimentação

Fast foods, comidas prontas e as famosas “besteiras” passam a substituir as refeições caseiras saudáveis até então preparadas pelos pais. 

Além disso, a adolescência é uma época em que os filhos se tornam cada vez mais conscientes do seu peso e da sua imagem corporal. Para atingir os padrões, muitos passam fome e/ou pulam refeições.

Isso também leva a uma série de discussões entre os pais que tentam convencer seus filhos a terem uma alimentação adequada. 

6. Muito tempo conectado

WhatsApp, Instagram, Twitter, YouTube, TikTok, além de milhares de joguinhos que estão disponíveis, te conectam com os amigos e, adivinhem só, eles não impõem regras nem ficam tentando te controlar.

Se para os adolescentes o smartphone é o paraíso, para os pais pode virar um desconforto, pois se preocupam com tempo gasto na frente da tela ao invés de estar com a família ou estudando. 

7. Álcool e cigarro

Não é nenhum segredo que a maioria das pessoas tomou seu primeiro gole de bebida alcoólica quando ainda era adolescente. É nesta fase que geralmente que surge a curiosidade por experimentar coisas novas. 

No entanto, além de proibidos por menores de idade, são prejudiciais à saúde. Os pais, portanto, se preocupam se seus filhos bebem ou fumam às escondidas e isso leva a muitas brigas. 

8. Notas e atividades da escola

Os adolescentes costumam estar tão ocupados explorando novas possibilidades que as atividades escolares costuma ficar em segundo plano. E se ressentem do fato de os pais tentarem impor horário de estudo ou um desempenho maior

O que geralmente é uma preocupação bem intencionada por parte dos pais é interpretado como interferência indevida, o que gera ressentimentos de ambos os lados e leva a discussões.

9. Toque de recolher

A maioria dos adolescentes detesta quando os pais impõem que eles cheguem em casa mais cedo do que gostariam. Claro que é uma preocupação com a segurança dos filhos, mas eles acham que é privação de liberdade.

É difícil chegar a um consenso sobre isso e o toque de recolher acabam sendo um dos principais motivos das brigas.

8 dicas para evitar conflitos entre pais e filhos

conflitos entre pais e filhos

Olhando para as situações apresentadas anteriormente e colocando-se no lugar de pai e de filho é difícil saber quem está certo ou errado. A verdade é que ninguém está. 

Só é preciso encontrar caminhos menos dolorosos e mais pacíficos para esta fase – que, como todas as outras, vai passar. O que fica é o amor e a relação construídos ao longo de todas as fases.

A seguir, veja 8 dicas para evitar conflitos entre pais e filhos na adolescência.

1. Invista no diálogo

A psicóloga clínica cognitivo-comportamental, Natália Cunha, do Centro de Psicologia Aplicada (CPA), afirma que a maioria dos conflitos tem origem na dificuldade de comunicação dentro de casa.

caminhos educacionaisPowered by Rock Convert

“Isso se traduz tanto pela dificuldade dos pais em afirmar autoridade em certas ocasiões, quanto dos filhos em manifestar aquilo que sentem falta e esperam receber. O resultado é um processo de cobranças e acusações”, diz a psicóloga.

Se você tiver que discutir com seu filho, argumente de forma justa e ouça os argumentos dele. Permita que que cada pessoa envolvida na discussão fale o que pensa. Assim, poderão chegar a um consenso, um meio-termo, sem uma mera imposição de regras.

2. Tenha paciência

Para evitar conflitos entre pais e filhos na adolescência é preciso ter paciência.

Seu filho está enfrentando mudanças muito grandes, no corpo e nas emoções. Está se redescobrindo. Claro que você deve manter uma amizade com ele, mas você não é um amigo comum dele, ainda é pai ou mãe e isso se traduz em um relacionamento diferente dos demais amigos.

O grande desafio é encontrar o equilíbrio entre a amizade e a autoridade. 

“É preciso cuidado para não confundir autoridade com autoritarismo. A relação deve basear-se no afeto emocional também, favorecendo o elogio e evitando críticas constantes”, aconselha Natália.

3. Participe da vida dele

Talvez seu filho queira se manter certo distanciamento de você, ter mais momentos sozinhos e sair mais. Está tudo bem, é normal. Mas não deixe que isso afaste vocês e mantenha uma intimidade para saber como e o que falar com ele. 

É importante que o tempo destinado aos filhos seja usado de forma satisfatória e eficiente, priorizando a qualidade dos momentos juntos. 

“Além disso, é essencial que os pais tenham a consciência de não suprir essa ausência com presentes e permissividade”, afirma a psicóloga.

Procure por uma escola de qualidade, que te ajude a transmitir os valores nos quais você acredita. Participe da vida escolar também, reconhecendo as boas notas e buscando mantê-lo interessado na busca pelo conhecimento.

4. Use a tecnologia a seu favor

Celular, videogame, computador e TV podem fazer surgir verdadeiros abismos na família se não forem usados com limites. 

“Se todos assistirem TV ou usarem o computador no mesmo ambiente, é possível aproveitar essas tecnologias para enriquecer as conversas e criar momentos agradáveis, prazerosos e de aproximação”, aconselha Natália.

Mantenha interesse pelo que eu filho está assistindo no YouTube ou seguindo no Instagram. Além de saber o conteúdo a que ele está tendo acesso, vai gerar assunto entre vocês.

5. Mantenha limites claros

Seu filho ainda é menor de idade e você é, sim, o responsável legal por ele. Por isso, ele precisa ter limites, caso contrário você pode ser penalizado.

Mas nem todas as regras precisam ser simplesmente impostas, de cima para baixo. 

Desempenho e atividades escolares, sim. Mas talvez a roupa ou o horário de volta podem ser negociados, certo?

Converse, converse, converse. 

Veja no que é possível abrir mão e ceder e deixe bem claro onde que seu filho deve seguir a risca. Para isso, deixe tudo às claras e seja transparente com ele.

6. Mude o tom

Para evitar conflitos entre pais e filhos na adolescência é preciso controlar o tom de voz.

Por incrível que pareça, o tom de voz pode cessar ou amplificar um desentendimento.

Se você chegar dando sermão ou de lição de moral, bancar o sabe-tudo ou impor um tom de crítica, você pode tornar algo banal em uma grande briga.

Tente usar o tom do diálogo. Ouça mais que fale, argumente, negocie e tente explicar ao invés de impor o que pensa. 

7. Confie no seu filho

A frase “Não, você não pode sair hoje à noite” causa mais do que uma “vergonha” perante os amigos na vida de um adolescente. Isso implica que o seu pai não confia nele para tomar suas próprias decisões. 

E aos olhos de um adolescente, em fase de rebeldia e sentimentos a flor da pele, isso não é apenas injusto; é humilhante. Por isso, confie nele quando ele lhe der argumentos que fazem sentido.

Aos poucos, dê pequenos passos. Ele vai sentir que você confia e você vai sentir que pode confiar nele.

8. Reconheça e elogie seu filho

O foco de um adolescente está no reconhecimento dos pais de sua maturidade, capacidade e valor humano. Mesmo que nem ele saiba quem quer se tornar ainda, ele quer que seu pai aprecie a nova pessoa que está se tornando.

Veja também: Como orientar o seu filho na escolha da profissão

Portanto, mostre como você se sente feliz pelo crescimento e pelas conquistas do seu filho. 

E não esqueça que muitas coisas que são corriqueiras para um adulto, para os adolescentes pode representar grandes conquistas. Assim, eles esperam que haja o reconhecimento e o orgulho por parte dos seus pais.

Adolescência: uma fase de crescimento tão linda quanto as demais

Brigar com seu filho adolescente não significa necessariamente que você tenha um relacionamento ruim. A qualidade de um vínculo entre pai e filho não se mede apenas por isso.

Alguns pais e adolescentes se envolvem em discussões frequentes porque passam muito tempo juntos, compartilham experiências diárias e conversam bastante. Como dizer que isso é ruim?

O que importa é que uma briga não termine com pai e filho com raiva um do outro ou que se afastem de forma mais definitiva. 

Lembre-se que o que um adolescente deseja é obter reconhecimento e um novo respeito pelos pais que tanto ama – embora talvez não queira demonstrar. 

Insista na construção dessa nova relação com paciência, respeito e amor acima de tudo.

Posts relacionados

Deixe um comentário