Comportamento Infantil de 4 a 5 anos: Tudo o que pais precisam saber

9 minutos para ler

O comportamento infantil entre 4 e 5 anos de idade é cheio de novidades, cenas de comédia, um pouco de drama e muita, mas muita descoberta.

Principalmente durante esses dois anos, os pais começam a perceber que seus filhos já não são mais aqueles bebezinhos inofensivos e indefesos. 

Agora, são crianças em formação de personalidade, preferências e jeitos de pensar.

Em resumo, esse intervalo de tempo é repleto de aprendizados, tanto para as crianças quanto para os pais.

Portanto, é sempre importante estar informado(a) e se aprofundar um pouco mais nos conhecimentos sobre as atitudes e comportamentos infantis entre 4 e 5 anos para não ser pego(a) de surpresa.

Preparado(a)?

Neste texto, iremos abordar os seguintes tópicos:

Comportamento infantil aos 4 anos 

  1. Detalhes do comportamento
  2. Como lidar com a teimosia
  3. Detalhes do desenvolvimento da criança de 4 anos

Comportamento infantil aos 5 anos

  1. Como é o comportamento da criança aos 5 anos
  2. Detalhes de seu desenvolvimento

O comportamento infantil aos 4 anos

Durante esta idade, as crianças atingem a fase da afirmação. 

São momentos em que seu filho vai desafiar todos os limites das mais diferentes formas. 

Um bom exemplo é na hora da alimentação, quando as crianças podem passam a negar veementemente alguns alimentos, até com atitudes reprováveis, como fugir da mesa. 

O segredo com a fase da afirmação é ter paciência e manter o pulso firme. 

Mas fique atento(a), manter a firmeza não é sinônimo de autoridade sem razão. 

O importante é verbalizar, conversar com o seu filho, expor os fatos, porém, deixando claro que sua palavra tem um peso de responsabilidade sobre ele. 

Energia que não acaba mais

Aos quatro anos, as crianças são cheias de energia. Elas conseguem realizar múltiplas tarefas ao mesmo tempo, e isso abre novas perspectivas para elas, que vão começar a esbanjar energia para fazer coisas simultâneas, como correr e falar.

Não se assuste com essa energia toda. Isso não é um traço significativo de problemas, como hiperatividade. 

Tudo isso é normal da idade, sendo resultado de um contínuo desafio que elas fazem às suas capacidades. 

Resumindo: isso tudo é sinal que seu filho está crescendo, e sua curva de aprendizado está dentro da normalidade. 

Se você quer dar um destino mais produtivo a toda essa energia, é uma boa hora para o seu filho começar a praticar algumas atividades extras, como natação, balé e/ou futebol. 

Só não se esqueça de ir com calma na agenda dele, afinal, é preciso garantir que ele sinta prazer no que faz.

Sono em mutação

A partir dos quatro anos, o sono das crianças se torna mais constante (os pais agradecem), e pode durar a noite toda.

O sono é um fator que varia muito de acordo criança para criança, mas geralmente é possível esperar em noites mais tranquilas. 

Para isso, será necessária uma dose de paciência para acompanhar a criança nas primeiras noites, quando ela pode pedir pela companhia dos pais para dormir, e também com os escapes noturnos de xixi.

Eles são comuns, mas somem conforme a criança aprende a chamar os pais e, posteriormente, ir sozinha ao banheiro.

Fala e questionamentos

Ao atingir os quatro anos de idade, as crianças começam a falar muito. Algumas já iniciam este processo antes mesmo dos quatro anos, mas a maioria “solta a língua” com essa idade. 

Cabe aos pais duas atitudes: 

  1. Ter paciência com esta fase;
  2. Ter responsabilidade com o vocabulário reproduzido perto dos pequenos.

Cuidado com suas falas.

Neste momento eles entram na fase da esponja, ou seja, vão absorver expressões e vocábulos do dia a dia dos pais. 

Além do aumento da quantidade de falas, começam a surgir as famosas questões, a fase dos porquês

Isso ocorre pois a criança começa a ampliar a sua percepção e curiosidade sobre o mundo e o funcionamento das coisas ao seu redor.

Por isso, inclusive, surgem muitas perguntas difíceis de responder.

Veja: 10 perguntas “cabeludas” feitas de filhos para pais e como respondê-las

Tudo isso são estímulos de fala, compreensão e vocabulário.

Ou seja, mais uma vez seu filho está desafiando seus limites e capacidades, além, é claro, de estar naturalmente desenvolvendo seus conhecimentos.

O comportamento infantil aos 5 anos

Aos cinco anos, as crianças iniciam um fechamento de um ciclo de desenvolvimento, neste caso, o desenvolvimento neuropsicomotor. 

A partir deste momento, elas ganham ainda mais controle sobre seus corpos, algo que começam a notar e desafiar aos quatro anos de idade. 

A partir dos cinco anos, seu filho é independente para uma série de tarefas, tais como:

  1. Se trocar sozinho;
  2. Comer sem a ajuda de ninguém (a não ser para cortar alimentos mais duros);
  3. Se equilibrar melhor (diminuem aquelas quedas inocentes de criança);
  4. Pintar com mais prática e respeitando os contornos.

Desenvolvimento do vocabulário

Aos cinco anos, as crianças compreendem quase 10 mil palavras e entram na fase da alfabetização. 

É comum que elas tentem sair lendo e identificando letras, mesmo que ainda não estejam na fase de realmente ler tudo ao redor.

Com tanto vocabulário, a criança de cinco anos já entende qual é o efeito de algumas delas.

Umas serão reprovadas, outra serão motivos para risos e alegria, sendo assim, ela se torna mais deliberativa e cuidadosa com as palavras. 

Ela vai pensar um pouquinho mais antes de falar, porém, ainda vai carregar a inocência e a falta de malícia que podem gerar frases como “mamãe, esse é o tio chato que você falou?”. 

Outra coisa interessante: nessa fase, as crianças começam a entender que algumas palavras são, digamos, “impróprias”, tais como “pum”, “xixi” e “cocô”.

É bom ter cuidado com o potencial delas, mas não há motivos para repreensão, afinal, tudo é parte de um processo de crescimento e amadurecimento do pensar. 

Noções de tempo começam a surgir

Se antes os pequenos falavam coisas como “amanhã eu fui na escola com meus amigos”, agora as coisas começam a ficar mais claras. 

As crianças começam a ter mais noção de tempo, inclusive passam a entender mais sobre os conceitos de “manhã, tarde e noite” e “ontem, hoje e amanhã”. 

Elas começam a entender de uma forma simplificada, mas um tanto quanto eficaz, como funciona a passagem do tempo. 

A mesma coisa funciona com a questão espacial, ou seja, fatores que englobam direcionamentos como atrás, na frente, em cima e embaixo. 

É como se elas desenvolvessem uma visão mais tridimensional e, com isso, começam a compreender melhor como funcionam as direções no nosso mundo.

Informações corretas

Com essa idade, as crianças já têm bagagem para se orientarem em casos extremos, como se perder no shopping.

Elas já são capazes de gravar informações como nome completo, endereço, idade e data de nascimento.

Além do desenvolvimento envolvendo as informações, elas se tornam mais proativas e eficazes na execução de algumas demandas, com isso, é possível contar com a ajuda delas para algumas tarefas domésticas e até para atender o telefone e transmitir algum recado.

É claro que isso muda um pouco de criança para criança, porém, no geral, elas já se tornam bem mais participativas, inclusive querem contribuir para a organização da casa e na realização de tarefas.

Imaginação e criatividade

Ainda que as crianças tenham uma imaginação muito fértil (é de se espantar), com essa idade elas já sabem distinguir bem o que é realidade e o que é fruto da imaginação.

Sendo assim, elas se tornam bem mais difíceis de serem enganadas, portanto, esqueça aquelas desculpas esfarrapadas ou as histórias fantasiosas para justificar alguma coisa.

Agora, o melhor é ser sincero(a) e conversar com elas sobre emoções, tristezas e frustrações. 

Apesar de desenvolverem uma relação bem mais intensa com o que é real e o que não é, as crianças ainda têm um pouco de dificuldade para distinguir o que é posse. 

Isso significa que elas vão pegar brinquedos da escola, artigos escolares dos colegas e, em casos mais extremos, até itens de lojas. 

Tenha calma com essas situações, mais uma vez, se trata de algo inerente da evolução dos pequenos. 

Além do sentimento de posse, as crianças de cinco anos começam a apresentar sentimentos e sensações bem interessantes e inerentes de nosso crescimento e amadurecimento, tais como:

  1. Identificar e compreender (mesmo que internamente) o que é ciúmes;
  2. Necessidade de se exibir para os demais;
  3. Medo de coisas reais, como ladrões, escuro e a morte;
  4. Frustrações são sentidas e externadas. 

Conclusão 

As crianças de quatro e cinco anos estão descobrindo o mundo e, por consequência, precisam de auxílio dos pais para ampliarem seus conhecimentos e, ao mesmo tempo, descobrirem os limites e a forma como nosso mundo funciona. 

O mais importante é nunca se esquecer que tudo que eles estão passando é um longo processo de aprendizado, portanto, o papel dos pais é auxiliá-las nessa construção do cognitivo e sempre estarem presentes para construir com elas a noção de mundo e de sociedade.

O artigo foi útil? Ficou com alguma dúvida? Fique à vontade para interagir conosco deixando seu comentário abaixo.

Aproveite e veja também nosso artigo sobre o Comportamento Infantil aos 6 anos de idade!

Posts relacionados

Deixe um comentário