Amizade entre irmãos: Como promover uma relação saudável entre os filhos

10 minutos para ler

Todo mundo conhece alguém que tem histórias de brigas com irmãos, seja na infância ou até mesmo na fase adulta. 

A convivência intensa e, em certos momentos, a disputa por atenção e a necessidade de resolver problemas podem gerar atritos, e isso é algo que todos os pais desejam evitar.

Essa intensa relação fraterna é algo discutido e relatado há muito tempo. 

Até mesmo a Bíblia, com a história de Caim e Abel, mostrou que nem sempre é fácil fazer com que a relação se torne uma amizade entre irmãos

Mas nem todos os irmãos estão fadados à discórdia, na verdade, os pais podem agir para atenuar as diferenças e despertar a união entre eles. 

Se você tem mais de um filho em casa e se preocupa com a relação que eles estão construindo, esse artigo foi feito para o seu caso.

Confira a seguir algumas dicas para promover a amizade entre irmãos e entenda melhor as razões que contribuem para as famosas brigas e desentendimentos na rotina de irmãos e irmãs. 

Por que nem sempre tudo é mil maravilhas entre irmãos?

A resposta para essa pergunta mora em nossas próprias histórias de vida. 

Quem tem um irmão ou irmão já sentiu na pele esses momentos de desentendimento, e as razões são as mais diversas possíveis. 

Veja alguns pontos que costumam gerar desentendimentos:

Ciúmes

O bom e velho ciúmes é comum quando crianças pequenas percebem que toda aquela atenção dedicada agora é direcionada para um bebê. 

Quando o irmão mais novo chega, é comum que o irmão mais velho sinta que a atenção não é a mesma, porém, todos sabemos que se trata de uma necessidade, já que os recém nascidos demandam muitos cuidados.

Mas não é apenas na primeira infância que isso acontece. 

É comum que crianças e adolescentes também sintam ciúmes quando o irmão executa uma tarefa com sucesso e recebe elogios pelas suas atitudes. 

Disputas

Crianças, em muitos casos, exercem um papel de dominância sobre brinquedos e até mesmo pessoas ou animais. 

Muitas vezes os irmãos brigam em situações de disputa pelo uso de um objeto ou pela atenção de alguém.

Esse tipo de desavença acontece tanto entre os pequenos quanto entre os mais velhos, especialmente quando existem brinquedos compartilhados, como videogames, notebooks, etc. 

Conflitos de interesse

Adultos, na maioria dos casos, conseguem contornar as divergências de pensamento e atitudes sem transformar isso em briga, porém, para as crianças isso pode ser um desafio.

O fato do filho mais velho querer passear no zoológico enquanto o mais novo deseja ir ao parque já é o suficiente para gerar um atrito.

Excesso de convivência

Conviver com uma pessoa durante muito tempo pode ser desafiador. 

A convivência em excesso é algo que pode gerar desgastes, ainda mais em uma relação fraternal, na qual não há um risco de rompimento e afastamento entre os dois (é claro que isso pode ocorrer na fase adulta, porém, este não é o nosso foco de hoje). 

Dificuldade de expressão

Crianças desenvolvem sua capacidade de argumentação e expressão de sentimentos aos poucos. 

Em algumas etapas desse desenvolvimento é difícil para eles serem precisos na hora de se expressar, e isso pode gerar brigas.

Tudo isso e mais um pouco!

A relação entre irmãos e irmãs pode envolver todos esses desafios ao mesmo tempo, e ainda pode se agravar caso os pais cometam o erro de expressar favoritismo entre as crianças.

Entender o porquê das dificuldades de relacionamento entre as crianças exige que os pais analisem o cenário de forma macroscópica, buscando mapear situações como as descritas acima e, claro, tomando cuidado com suas próprias atitudes. 

7 dicas para promover a amizade entre os seu filhos

amizade entre irmãos relação

No tópico acima destacamos alguns fatores que podem contribuir para o desgaste na relação entre irmãos. 

Para evitá-los, os pais podem promover algumas mudanças na rotina e adotar algumas atitudes simples para atenuar os conflitos e promover uma aproximação saudável entre seus filhos. Veja algumas dicas.

1. Não estimule comparações

É comum que pais e mães falem frases como “por que você não faz igual seu irmão?” ou “veja como seu irmão fez isso melhor do que você”.

Esse tipo de informação pode parecer um estímulo inocente, algo para despertar em seu filho um efeito comparativo entre algo bom e algo ruim, contudo, essa comparação não é algo que faça uma diferença positiva.

Mais do que estimular uma reflexão, ela estimula uma rivalidade, uma competição não saudável. 

banner checklist blog

A melhor coisa a se fazer é trocar a ideia comparativa por uma solução mais simples: transformar o irmão mais velho em um mentor do mais novo

Estimular as crianças mais velhas a ensinar e cuidar dos pequenos é uma forma de aproximá-los, promovendo o contato direto, a comunicação entre eles e o sentimento de união. 

2. Promova momentos de integração

Crie atividades para serem feitas em união. Isso pode ser algo simples como ajudar na hora de dar banho no cachorro até uma gincana em família onde os irmãos precisam trabalhar juntos para competir com os pais. 

Vale a pena entrar no mundo deles, ou seja, descobrir quais atividades eles gostam de fazer e, com base nelas, criar momentos de união. 

Digamos que seus filhos gostem de jogar videogame

Vale a pena conversar para que eles encontrem um jogo de cooperação e que toda a família vai jogar junto. 

A integração com base em atividades que eles gostam ajuda muito a nutrir um sentimento de união, mas tome cuidado para que esse sentimento não se transforme em competição.

3. Determine tarefas em conjunto

Além da integração em atividades que eles gostam, é importante promover a cooperação, colocando os irmãos para resolver uma situação juntos

Isso pode ser algo como limpar o quarto, dar uma força na organização dos brinquedos ou até mesmo lavar e secar a louça.

Como se trata de uma tarefa que não oferece tanta satisfação, é ideal que os pais falem sobre a importância do trabalho em equipe para que tudo seja resolvido com rapidez.

4. Faça reuniões de família

Esqueça aquela ideia de chamar os filhos para uma conversa só quando algo de ruim aconteceu. 

Procure reunir a família para um conversa de tempos em tempos, onde eles possam compartilhar seus interesses, suas dificuldades, felicidades e pontos de descontentamento.

Busque sempre realizar uma reunião calma, sem brigas e, principalmente, onde os pais não tem uma figura de autoridade máxima, mas sim de mediação e condução da conversa. 

5. Não tolere agressões

Sempre que a discussão entre irmãos terminar em briga física é papel dos pais parar o que está acontecendo e explicar para os dois sobre a nocividade desse tipo de atitude. 

Vale a pena falar sobre o quão errado são as agressões físicas e reforçar que irmãos devem se unir e evitar esse tipo de briga.

É difícil evitar que isso aconteça novamente, porém, é preciso um esforço contínuo para repreender essas atitudes, conversar com as crianças sem dar razão para um ou outro e prezar pela importância do diálogo.

6. Não controle tudo, apenas fique de olho

É importante deixar os irmãos tomarem conta da relação entre eles, sem o sentimento de que há sempre um interventor

Eles precisam tomar decisões, buscar acordos e, claro, aprender a discordar um do outro com respeito.

Tudo isso exige que eles mesmos desenvolvam suas técnicas e estratégias, o que você deve fazer é ficar de olho para ver se as atitudes são corretas e não estão fazendo mal para o desenvolvimento deles como pessoas. 

Lembre-se que amizade e laços é algo que leva tempo para construir. 

Não é porque eles nasceram na mesma família que eles têm o dever de serem próximos desde o princípio.

7. Fale com eles sobre a importância de ter um irmão

Você pode fugir do velho clichê de dizer “no futuro nós não estaremos aqui e vocês terão um ao outro”, mas não pode fugir da tarefa de falar sobre a importância de ter um irmão.

Irmãos possuem laços próximos e, no futuro, poderão se valer dessa proximidade para terem um amigo fiel para a vida toda

Isso é muito importante e você deve conversar com seus filhos para alertar sobre os benefícios de ter uma boa relação fraternal.

Para exemplificar essa relação saudável você pode usar filmes, livros, jogos ou histórias, o importante mesmo é passar a mensagem sobre a importância e o benefício de ter uma relação saudável com alguém tão próximo. 

As 3 razões de Aristóteles

De acordo com filósofo grego Aristóteles, existem três razões fundamentais que estimulam a proximidade entre irmãos:

  1. Eles são incentivados a amar um ao outro desde o nascimento;
  2. Eles têm o mesmo núcleo familiar, e, portanto, partilham da mesma educação e valores;
  3. A amizade entre eles é constantemente testada e aprimorada ao longo do tempo.

Esse conjunto de fatores fornece terreno fértil para a construção de uma relação duradoura, respeitosa e muito positiva.

Contudo, os pais podem atuar de forma colaborativa, reduzindo os conflitos e estimulando ainda mais uma convivência positiva.

Não esqueça que a eventual briga entre irmãos é normal e vai acontecer mesmo quando você colocar todas as dicas em prática, o importante mesmo é entender tudo como um processo contínuo e que leva, sim, um pouco de tempo (e que envolve o próprio amadurecimento das crianças).

Portanto, o ideal é ser atuante, mas sempre tomando cuidado para não se tornar um interventor da relação e, claro, tomando os devidos cuidados para respeitar os sentimentos de todos!

Gostou do conteúdo? Deixe seu comentário e enriqueça nossa discussão compartilhando suas experiências, histórias com seus irmãos e até outras dicas para deixar essa linda relação ainda mais gostosa!

Posts relacionados

Deixe um comentário