9 dicas para ajudar seu filho a estudar para o vestibular

8 minutos para ler

Estudar para o vestibular é uma obrigação dos adolescentes? 

Analisando rapidamente, podemos até responder que sim, afinal, é de interesse do jovem o ingresso em uma faculdade e o desenvolvimento de sua carreira.

Mas essa resposta deve ir um pouco mais além. 

Não podemos nos esquecer que os jovens estão em formação, tanto intelectual quanto humana, e, em alguns momentos, eles precisam da experiência dos adultos para terem sucesso em suas missões particulares.

Estudar para o vestibular se encaixa perfeitamente na situação descrita acima. O estudo é uma obrigação do adolescente, porém, um pouco de auxílio dos pais pode ser um excelente diferencial para seu desempenho.

De fato, não dá para você mãe/pai ficar olhando seu filho estudar no quarto, monitorar todos os passos dele e chamar isso de ajuda, afinal, isso parece mais uma fiscalização do que um auxílio. 

Mas, então, o que fazer? 

Se você tem interesse em ajudar seu filho a estudar para o vestibular, chegou ao lugar certo. 

Listamos abaixo 9 dicas para você dar um suporte positivo para seu filho em um momento tão importante. Acompanhe e tire suas dúvidas! 

Como ajudar o seu filho a estudar para o vestibular? 

Antes de mais nada, não se esqueça que os jovens que estão em busca de uma vaga na universidade estão enfrentando o maior desafio de suas vidas até o momento. 

Estamos falando de pessoas entre 17 e 19 anos, que ainda não ingressaram de vez nas dificuldades do mundo adulto. 

Para eles, fatores como pressão por resultados, cumprimento de prazos e planejamento de tarefas diárias ainda tem um quê de novidade.

É exatamente essa inexperiência com fatores tão importantes que fazem, em muitos casos, com que eles se sintam vulneráveis e tenham um desempenho abaixo do real potencial.

O papel dos pais nesse momento deve ser de cobrança do estudo, mas não só de cobrança. 

Agora é o momento de ser empático, entender que o mundo daquele jovem está passando por grandes mudanças, e você pode ajudá-lo a entender melhor essas alterações. 

Veja como você pode ajudar seu filho a estudar para o vestibular trocando aquela velha cobrança por horas de estudo por uma postura mais parceira:

1. Cuidado com a pressão

Se você quer ajudar seu filho a passar no vestibular, saiba distinguir uma cobrança saudável da pressão excessiva. 

Se seu filho não estuda há dias, nada mais natural do que cobrá-lo de cumprir com seus deveres, porém, se ele estuda todos os dias, não há porque criar um ambiente de cobrança constante.

A pressão exercida pelos pais pode ajudar o adolescente a criar uma rotina de estudos, mas pode ser comprometedora se não for dosada.

Inclusive, a pressão exacerbada pode ocasionar em impactos psicológicos para seu filho, resultando em uma queda de rendimento.

2. Ajude na organização do tempo de estudos

como ajudar seu filho no vestibular

Se você é uma pessoa organizada e sabe executar um bom planejamento do seu tempo, por que não ajudar seu filho com a estruturação de uma rotina saudável de estudos? 

Aproveite que você tem um pouco mais de experiência com gestão de tempo e ajude-o a criar uma agenda semanal.

Nessa agenda, é possível determinar os horários de estudo e de cumprimento de outras tarefas (como levar o cachorro para passear, visitar os avós, sair com os amigos, jogar no computador, etc).

3. Se coloque à disposição para conversar

Que tal se colocar à disposição dos filhos para aqueles momentos em que eles precisam aliviar a tensão e conversar um pouco?

Momentos de descontração nessa rotina intensa de estudos fazem a diferença, e é muito bom para um estudante saber que pode contar com a prestatividade dos seus pais quando a situação fica um pouco mais intensa e exige um “momento #desabafo”. 

4. Aproveite seus conhecimentos

Se você é excelente em matemática, história, gramática ou qualquer uma das disciplinas ministradas durante o ensino médio, nada te impede de ajudar seu filho em seu momento de estudo para o vestibular. 

banner checklist blog

Não se trata de fazer os exercícios por ele, mas sim de uma ajuda na fixação e aprendizagem do conteúdo. 

Mas aqui fica um ponto de atenção: se você se sente inseguro para ensinar seu filho, então, talvez seu conhecimento não seja tão intenso quanto você pensava.

Se esse for o caso, é melhor deixar essas aulas alternativas para uma tira-dúvidas com um professor ou um grupo de estudos da escola. 

5. Respeite o cansaço

Muitas vezes os pais cobram horas e horas de estudo dos filhos sem se importar com o estado físico e mental deles. 

O cansaço derruba o nível de atenção e dificulta a aprendizagem. Manter um adolescente estudando após longas horas não vai gerar nenhum resultado positivo.

O estudo é como um exercício para o cérebro, e como todo exercício é preciso estar nutrido, descansado e preparado para ter uma boa performance. 

O acúmulo de horas de estudo não significa que o jovem aprendeu bastante. Em muitos casos é melhor fazer uma sessão de estudos menor (mas com um bom preparo) do que apostar em um corujão de estudos madrugada adentro.

6. Abra espaço para a diversão

Não julgue seu filho quando ele buscar um pouco de lazer em sua rotina. Aposente aquela história de “enquanto você passeia tem um concorrente estudando”. 

Isso só cria pressão desnecessária e passa a ideia de que esfriar a cabeça e ter compromissos durante uma rotina intensa é um pecado. 

Deixe seu filho se divertir um pouco, encontrar os amigos e fazer atividades que dão prazer a ele. Tudo isso é importante para criar uma rotina de estudos equilibrada para passar no vestibular

7. Cuidado com o ambiente de casa

Os adultos devem evitar que situações que fogem do controle do jovem impacte a rotina de estudos. Isso envolve questões como:

  1. Brigas e desentendimentos do casal;
  2. Problemas financeiros;
  3. Dificuldades na sua rotina de trabalho;
  4. Discussões familiares.

Os jovens já estão com uma pequena sobrecarga emocional durante o pré-vestibular, e quanto mais a família ajudar, melhor. 

Mas saiba que não se trata de esconder os problemas de casa, mas sim de respeitar o momento e ter filtro para saber quais assuntos mais pesados devem ser abordados com o estudante e quais conversas podem ser adiadas. 

8. Seja um parceiro para as vésperas de prova

Quando as provas se aproximam, é comum aumentar a tensão entre os vestibulandos.

Seja um parceiro nesses instantes e ofereça apoio emocional e, se possível, algumas atividades de distração. 

Depois de um ano inteiro de estudos, porque não reservar um final de semana antes das provas para uma pequena viagem ou um passeio que toda a família gosta?

Todos nós precisamos aliviar nossas tensões e recarregar as energias para os desafios da rotina. 

Seu filho não é diferente, portanto, seja um ombro amigo nesse instante e ajude-o a se distrair um pouco e reduzir a pressão. 

9. Nutrição

Se estudar é como um exercício para o cérebro, logo, é preciso ter uma boa dieta para se exercitar com saúde. Estudantes precisam ter uma rotina alimentar saudável, bem equilibrada e sem exageros.

É preciso pensar que alimentos gordurosos e açúcares causam sonolência e dificultam o raciocínio após a ingestão.

Por isso, um estudante que come muita fritura e consome bebidas açucaradas em suas refeições possivelmente terá um desempenho pior do que aquele que mantém um equilíbrio em suas refeições. 

A questão nutricional faz a diferença, e os pais podem ajudar, estabelecendo um cardápio mais saudável e que contribua para a rotina do jovem.

A ajuda é sempre bem-vinda, mas cuidado para não atrapalhar

Os pais podem ser verdadeiros parceiros de seus filhos durante a etapa pré-vestibular. Tudo o que é preciso é ter um pouco de empatia com os desafios da rotina e contribuir para que eles consigam focar mais nos estudos.

Muitas vezes os pas erram tentando acertar, ou seja, é no ímpeto de ajudar a fazer o certo que surgem os deslizes. 

Por isso, é preciso ter calma, tomar cuidado com a pressão e se posicionar como uma espécie de parceiro, uma pessoa acessível para os momentos difíceis e que também faz o que pode para deixar a rotina de estudos mais suave e menos conturbada. 

Gostou das nossas dicas? Deixe um comentário abaixo e compartilhe conosco os seus pensamentos sobre o papel dos pais nessa fase crucial da vida dos adolescentes.

Posts relacionados

Deixe um comentário